Fundo da Gaveta – Warhammer 40k – Space Marine

Olá a todos! Sabem aqueles jogos que você compra e acaba nem jogando pra valer e eles vão direto pro fundo da gaveta? Pois é, neste novo quadro vou analisar e comentar alguns jogos que, apesar de bons, são pouco comentados e consequentemente, passam despercebidos pelo mundo a fora.
O meu primeiro escolhido para começarmos será um jogo que, apesar de seguir na mesma linha de Gears of War, ficou apagado entre os jogadores de Xbox 360, PS3 e PC: Warhammer 40.000 – Space Marines

Warhammer 3

Mas porque esse jogo, que apesar de bom, não foi tão comentado entre a comunidade de jogadores da geração passada? Simplesmente porque Warhammer 40.000 teve o péssimo azar de ter sido lançado em 2011, ano de lançamento de grandes jogos como Assassin’s Creed: Revelations, Deus Ex: Human Revolution e o próprio Gears of War 3.

Space Marines é considerado um third-person shooter, porém o jogo conta com um bom sistema de melee combat. Além de possuir várias armas de fogo, o jogador pode optar por trucidar seus inimigos com uma Chainsword, um Power Axe e o poderoso Thunder Hammer (minha arma favorita), o personagem também possui um escudo que é regenerado com o tempo e que serve como uma segunda barra de energia. E por falar em energia, o personagem principal, Titus, não conta com a ajuda de medkits ou o sistema de cura dos atuais FPSs (aquele no qual você deixa seu soldado paradão e ele recupera energia sozinho), a energia do capitão só é recuperada cada vez que você executa um oponente, o que é lindo de se ver, sangue e tripas para todos os lados.

Warhammer 1

Por falar em tripas, o jogo apresenta um nível alto de violência, na qual os inimigos têm suas cabeças explodidas, corpos serrados ao meio e um banho de sangue no seu personagem principal, mas sem muito detalhamento, é tudo muito rápido.

Space Marines possui também um modo online multiplayer bem construído, no qual o jogador pode escolher jogar como um Space Marine ou um Caos Space Marine (os inimigos finais do jogo principal), além disso são três classes a escolha; Tactical, Devastator e Assault, cada qual com suas armas e opções de customização.
Você leu certo, o modo online disponibiliza ao jogador varias opções de customização do seu soldado, tanto em estética quanto em habilidade com perks. Porém ele peca em modos de jogo, disponibilizando apenas “Annihilation” o bom e velho deathmatch, (quem fizer 41 mortes vence) e “Seize Ground” uma espécie de king of the hill, na qual os jogadores tem que capturar e segurar locais específicos.

Fora a gameplay fácil e dinâmico, o jogo também é incrivelmente bem detalhado na parte gráfica, me arrisco a dizer que é um dos mais bonitos que já joguei no Xbox 360. A THQ caprichou nessa parte, conseguindo colocar dentro de Space Marines tudo o que do universo Warhammer tem a oferecer na parte gráfica, e olha que isso não é fácil…
Quanto a historia, ela é simples, bem a cara de RPG’s de mesa, mas com algumas reviravoltas interessantes.
O enredo gira em torno de Graia, um planeta de colonização humana destinado à criação de armas. Um pedido de socorro é enviado do planeta: Graia estava sendo invadido por Orks, seres terríveis em combate e cujas hordas passam dos milhões durante a invasão ao planeta. A mensagem é recebida pelo império o qual envia alguns Ultramarines para combaterem a invasão, seu personagem, capitão Titus é quem irá comandar o esquadrão.
Após combaterem legiões de Orks e salvar alguns bravos soldados imperiais, o grupo recebe uma mensagem de um Inquisidor que usava o planeta como laboratório para suas pesquisas, e pelo teor da gravação, o Inquisidor se encontra com grandes problemas.

Warhammer 2

Essa é a premissa de Warhammer 40.000 – Space Marines, jogo bom, mas que quase não se ouve/lê por ai. Ele pode servir como porta de entrada também para os jogos da franquia Warhammer para PC e os jogos de tabuleiro (Sim! Warhammer é um jogo de tabuleiro!).
Por isso, se você leu este texto e gostou, recomendo que dê uma chance para Warhammer 40.000, você pode se surpreender com esse belíssimo jogo da THQ.
O próximo game escolhido será Guilty Gear Judgment do PSP, galera do portátil, fiquem ligados e até lá!

 

– Autor: Cid Falcão

Para o QuestGamer

Assinar Blog por Email

Digite seu e-mail e pronto :)

Assinar o podcast